quarta, 23 de agosto de 2017

Educação Alimentar e Nutricional

Alimentação Escolar / Educação Alimentar e Nutricional

Educação Alimentar e Nutricional (EAN) é um campo de conhecimento e de prática contínua e permanente, transdisciplinar, intersetorial e multiprofissional que visa promover a prática autônoma e voluntária de hábitos alimentares saudáveis, no contexto da realização do Direito Humano à Alimentação Adequada (DHAA) e da garantia da Segurança Alimentar e Nutricional (SAN). A EAN é uma das principais estratégias para a promoção da alimentação adequada e saudável.

De acordo com o Marco de Referência de Educação Alimentar e Nutricional para as Políticas Públicas (2012) a “EAN por ser um espaço de ação da SAN e da Promoção da Saúde é fundamental para a prevenção e controle dos problemas alimentares e nutricionais contemporâneos. Entre seus resultados potenciais identifica-se a contribuição na prevenção e controle das doenças crônicas não transmissíveis e deficiências nutricionais, bem como a valorização das diferentes expressões da cultura alimentar, o fortalecimento de hábitos regionais, a redução do desperdício de alimentos, a promoção do consumo sustentável e da alimentação saudável”.

A prática da EAN deve fazer uso de abordagens que favoreçam o diálogo junto a indivíduos e grupos populacionais, considerando todas as fases da vida, etapas do sistema alimentar e as interações e significados que compõem o comportamento alimentar. Ações em EAN devem priorizar mudanças alimentares voluntárias particularmente diante do cenário atual de prevalência de sobrepeso e obesidade da população brasileira.

Permitir às pessoas selecionar e consumir alimentos saudáveis e nutritivos, valorizando a diversidade dos produtos regionais, sem deixar de considerar a identidade e a cultura alimentar, a religião, a ciência, reconhecendo e difundindo a enorme riqueza dos alimentos, das preparações e das práticas alimentares locais faz parte do campo de atuação da EAN.

Dessa forma, quando a EAN incentiva a alimentação saudável refere-se à satisfação das necessidades alimentares dos indivíduos, no decorrer de suas vidas, que não extinga os recursos naturais renováveis e não renováveis e que envolva relações econômicas e sociais a partir dos parâmetros da ética, da justiça, da equidade e da soberania.

Segundo o FNDE “para fins do Programa Nacional de Alimentação Escolar, será considerada EAN o conjunto de ações formativas, de prática contínua e permanente, transdisciplinar, intersetorial e multiprofissional que objetiva estimular a adoção voluntária de práticas e escolhas alimentares saudáveis, que colaborem para a aprendizagem, o estado de saúde do escolar e a qualidade de vida do indivíduo”.

Exemplos de ações de educação alimentar e nutricional, no PNAE:

  • Promoção da oferta de alimentação adequada e saudável na escola;
  • Promoção a formação de atores;
  • Articulação das políticas municipais, estaduais, distritais e federais no campo da alimentação escolar;
  • Dinamização do currículo das escolas, tendo por eixo temático a alimentação no ambiente escolar;
  • Promoção de metodologias inovadoras para o trabalho pedagógico;
  • Favorecer o resgate dos hábitos alimentares regionais e culturais;
  • Estimular e promovam a utilização de produtos orgânicos e/ou agroecológicos e da sociobiodiversidade;
  • Estimular o desenvolvimento de tecnologias sociais, voltadas para o campo da alimentação escolar.

Reforçar a importância do consumo de alimentos mais saudáveis, priorizando aqueles in natura, no ambiente escolar é fundamental já que é um local destinado à formação de bons hábitos. Por isso, além de elaborar cardápios que ofereçam preparações benéficas à saúde das crianças, é papel do nutricionista ensinar a comer bem, por meio de atividades educacionais juntamente com os professores.