A equipe de Nutrição Escolar da Secretaria de Educação de Cabo Frio deu início a um projeto de incentivo à alimentação saudável nas creches municipais buscando despertar o interesse das crianças por frutas, legumes e verduras e hábitos de higiene ao manuseá-los. Outro aspecto desenvolvido pela equipe de nutricionistas é a identificação das cores, texturas e formas, o que desenvolve a criatividade e estimula a participação de todos através da linguagem oral.

              As atividades tiveram início na Escola Municipal de Educação Infantil Professora Dalcy Barroso Pillar, na Praia do Siqueira, aplicadas pela nutricionista Natália Mattos, que apresentou a música Trem das Frutas, através de recurso audiovisual, com participação dos alunos, da diretora da unidade escolar, professora Ina Lúcia Cardoso e das professoras e auxiliares de classe. Logo após as frutas foram identificadas no ambiente e reunidas montando uma cesta colorida que atraiu os olhares e despertou o interesse dos pequeninos estudantes que logo fizeram questão de contar suas realidades alimentares.

              A partir das experiências das crianças, a nutricionista desenvolveu o tema e abordou a importância da higiene no manuseio dos alimentos e o quanto são fundamentais para que cresçam saudáveis, utilizando uma linguagem adequada à faixa etária, sempre com atividades lúdicas e despertando o interesse para os próximos encontros onde serão apresentados aos legumes e às verduras.

              O projeto desenvolvido pela equipe da Gerência de Nutrição Escolar se baseia em estudos que indicam que entre dois e seis anos de idade ocorrem diversas modificações no padrão alimentar da criança, o que varia de acordo com os hábitos culturais e locais de suas famílias.

              “Quando não há o estímulo ao consumo de alimentos saudáveis nessa fase, é mais provável, no futuro, visualizar problemas nutricionais como anemia, hipertensão arterial, diabetes, câncer, entre outras. Portanto, a educação nutricional é importantíssima para a formação dos hábitos adequados em relação à alimentação, justificando-se de forma a levar a modificações no perfil comportamental de grupos específicos”, conclui a nutricionista Natália Mattos.