Articulação de Agroecologia promove ações de pesquisa-ação sobre alimentação escolar

A Articulação Nacional de Agroecologia lança uma nova ação que irá propor a discussão dos temas da alimentação escolar e produção de alimentos saudáveis. Nos próximos meses, sete munícipios brasileiros serão sede das atividades de pesquisa-ação junto aos diversos sujeitos envolvidos no Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), política nacional que oferece recurso para merenda de estudantes de todas as etapas da educação básica pública.  

Flávia Londres, da secretaria executiva da ANA, explica que a iniciativa surge a partir do acompanhamento que a Articulação já realiza em temas relacionados à construção de mercados para os produtos da agricultura familiar, à agroecologia e à alimentação escolar. De 2009, a Lei 11.947 prevê que 30% do valor repassado pelo Pnae às escolas deve ser investido na compra direta de produtos da agricultura familiar.

“Não foi por acaso que a gente escolheu desenvolver essa ação de uma forma continuada, mais sistemática. O Pnae é de extrema relevância porque contribui numa ponta para a segurança alimentar e, na outra, fomenta a agricultura familiar e estimula os processos de transição para agroecologia, a geração de renda, a construção de mercados”, aponta.

Sem_título.png

O projeto

Pesquisa-ação é uma metodologia utilizada por pesquisadores e universitários que permite não só o levantamento de dados sobre a realidade, mas promove, a partir disso, uma reflexão nos locais onde a pesquisa é desenvolvida. Segundo Flávia, a pesquisa-ação é realizada coletivamente, juntando os conhecimentos científico e popular em um processo de transformação social, seja fortalecendo o que dá certo, seja identificando o que precisa ser modificado.

Nos sete municípios do país (um do Sul, um no Centro Oeste, um no Norte, dois no Nordeste e dois no Sudeste – ambos em Minas Gerais: Belo Horizonte e São João das Missões) serão organizadas várias atividades, como oficinas, reuniões e intercâmbios, juntando agricultores, comunidade escolar e gestores de prefeituras.

“Uma das coisas que a gente gostaria é evidenciar a ação desses sujeitos políticos, especialmente juventudes e mulheres, na execução do Pnae e como isso rebate diretamente na qualidade dos alimentos das crianças, que, muitas vezes, são filhos dessas agricultoras e desses jovens”, comenta Viviane Brochardt, integrante do coletivo de comunicação da ANA.

Conheça

Surgida em 2002, a ANA é um espaço de convergência entre movimentos, redes e organizações da sociedade civil brasileira que promovem agroecologia, o fortalecimento da agricultura familiar e a construção de experiências sustentáveis de desenvolvimento rural. A atividade de pesquisa-ação está sendo construída junto ao Fórum Brasileiro de Segurança Alimentar e Nutricional (FBSAN), à Associação Brasileira de Agroecologia (ABA) e à Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB).

Fonte: Brasil de Fato

Iustração: E. Wikander/Azote