A alimentação exerce enorme influência sobre a saúde das pessoas, em particular sobre o risco de doenças crônicas. Entretanto, mais do que o consumo de um ou outro alimento de forma isolada, é o padrão de alimentação das pessoas, considerando quantidades e proporções dos diferentes grupos de alimentos, que vai definir o risco de doenças. Estudos semelhantes, realizados em países europeus por exemplo, identificaram que a “dieta mediterrânea” protege contra várias doenças crônicas, enquanto nos Estados Unidos a chamada “dieta ocidental” ou “dieta fast-food” aumenta esse risco. E no Brasil? É justamente isso o que queremos saber!

Fonte: Equipe de Comunicação do Estudo NutriNet Brasil