No campus Aparecida de Goiânia foram preparadas 349 cestas pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar

Mesmo com a suspensão das aulas presenciais devido à pandemia da Covid-19, estudantes das redes públicas de ensino de todo o Brasil seguem sendo beneficiados com gêneros alimentícios do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Na quarta e quinta-feira, 25 e 26, foram entregues frutas, verduras e legumes às famílias de alunos do Instituto Federal de Goiás (IFG) - Campus de Aparecida de Goiânia. A ação atendida pelo Pnae é a primeira de duas etapas de aquisição e distribuição de alimentos pelo IFG.

Os produtos vegetais presentes nas cestas foram adquiridos de agricultores familiares da região, por meio do projeto "Pnae na Cozinha", uma ação de extensão que também busca levar informações e criar meios de promover a educação alimentar e nutricional. Os alimentos – naturais, não processados, saudáveis e frescos – foram escolhidos com o intuito de promover uma alimentação balanceada aos estudantes da educação básica e pública.

Junto com a cesta também foi entregue um material gráfico contendo instruções de higienização das mãos e dos alimentos recebidos, além de um QR code que permite acessar receitas culinárias e ideias saudáveis para o melhor aproveitamento dos produtos da cesta. No conteúdo do QR code também é possível conhecer a origem dos alimentos e os contatos de cooperativas, associações e grupos de famílias agricultoras que participaram da chamada pública do IFG sobre o Pnae.

A nutricionista do IFG - Campus Aparecida de Goiânia, Tcherena Brasil, comenta sobre a importância de a iniciativa ter privilegiado a distribuição de alimentos naturais, adquiridos de agricultores familiares, em lugar de produtos industrializados. Segundo ela, "apesar de mais trabalhoso, já que exige uma preparação e distribuição mais ágil, é a garantia de que as famílias terão possibilidade de consumir alimentos naturais e mais saudáveis, já que em grande medida as pessoas optam por produtos industrializados para as refeições básicas das famílias. Essa, então, foi uma oportunidade de incentivar nossa comunidade a consumir alimentos extremamente necessários para nossa segurança alimentar. Além do fato de termos colaborado com a agricultura familiar da nossa região, adquirindo produtos desses agricultores".

Já os estudantes que receberam a cesta manifestaram satisfação em poder consumir frutas consideradas preferidas pelos brasileiros, como mamão e banana, e por receberem alimentos frescos e em quantidade suficiente para atender aos núcleos familiares. Cada cesta pesou, aproximadamente, 24 quilos.

A entrega das cestas seguiu as regras e protocolos do Ministério da Educação e da Organização Mundial de Saúde (OMS) para a prevenção à transmissão da Covid-19, como a manutenção do distanciamento entre as pessoas presentes, a obrigatoriedade do uso de máscara e a higienização das mãos e utensílios com álcool 70%. Além dos alimentos, os estudantes também receberam kits de máscaras de proteção produzidas pelo IFG, disponibilizadas por outro projeto de extensão, chamado "Construção de EPIs - Máscaras de Tecido contra Propagação do Covid-19".

O programa na pandemia – Mesmo com o fechamento das escolas públicas por conta da pandemia da Covid-19, o FNDE segue repassando, normalmente, os recursos da alimentação escolar. O governo federal adaptou a legislação do programa para possibilitar a entrega aos estudantes. Já foram registradas entregas de kits da alimentação escolar em todas as regiões do país.

orientação do FNDE é que a distribuição seja realizada em forma de kits, definidos pela equipe de nutrição local, de acordo com a faixa etária de cada estudante e o período em que estaria sendo atendido na unidade escolar. Além disso, os kits devem seguir as determinações do Pnae, como respeitar hábitos alimentares, a cultura local e a qualidade nutricional e sanitária.

O Pnae – Executado pelo FNDE, o Programa Nacional de Alimentação Escolar tem a finalidade de oferecer alimentação escolar e incentivar ações de educação alimentar e nutricional a estudantes de todas as etapas da educação básica pública. O programa atende diariamente mais de 40 milhões de estudantes em cerca de 150 mil escolas.

Além de melhorar a qualidade da alimentação nas escolas, o programa movimenta a economia local ao definir que pelo menos 30% dos recursos financeiros sejam investidos na compra de alimentos da agricultura familiar.

Fonte: Escrito pela Assessoria de Comunicação do FNDE com informações da Coordenação de Comunicação Social e Eventos do IFG / Campus Aparecida de Goiânia