pnae.pngO Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) completa hoje, dia 31 de março, 66 anos. Gerenciado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao Ministério da Educação (MEC), o Pnae é um dos maiores programas de alimentação escolar do mundo, tendo em vista o tempo de atuação, a continuidade, o compromisso constitucional, o caráter universal, o número de estudantes atendidos e o volume de investimentos anuais. 

Hoje, o Pnae está presente nos 5.568 municípios, nos 26 estados federados e no Distrito Federal, atendendo, de forma universal, mais de 40 milhões de alunos, em cerca de 160 mil escolas, totalizando 50 milhões de refeições ao dia. Mesmo com a suspensão das aulas, por conta da pandemia do coronavírus, o FNDE continua repassando os valores do Pnae para a alimentação dos estudantes e adaptou a legislação do programa para garantir que os gêneros alimentícios adquiridos sejam entregues diretamente aos alunos. 

As regras definidas pelo MEC e pelo FNDE na nova legislação incluem ainda orientações sobre as compras da agricultura familiar neste período, fator que contribui para a movimentação da economia local e valorização dos produtos regionais. 

“Tudo isso só acontece porque existe uma rede de colaboradores e apoiadores que trabalha para a execução da alimentação escolar. Parabenizo todos que diariamente fazem a alimentação escolar chegar aos estudantes das escolas públicas do Brasil, fazendo com que o programa seja uma referência mundial de garantia da segurança alimentar e nutricional”, destaca o diretor de Ações Educacionais do FNDE, Garigham Amarante. 

A coordenadora-geral do Pnae, Karine Santos, ressalta a importância do programa na vida dos estudantes. “O Pnae atua em várias frentes, contribui para o crescimento e o desenvolvimento dos alunos, colabora para a formação de bons hábitos alimentares, considerando o fornecimento de alimentos saudáveis e adequados e a implementação de ações de educação alimentar e nutricional”, afirma.  

Repasse - O governo federal repassa a estados, municípios e escolas federais valores financeiros de caráter suplementar efetuados em 10 parcelas mensais (de fevereiro a novembro) para a cobertura de 200 dias letivos, conforme o número de matriculados em cada rede de ensino. 

Fonte: FNDE