terça, 18 de setembro de 2018

Quênia lança estratégia de nutrição e alimentação escolar com apoio do Brasil

Quênia lança estratégia de nutrição e alimentação escolar com apoio do Brasil

por Rebrae 17/05/18

O governo do Quênia lançou no início de maio (8 e 9) sua estratégia de nutrição e alimentação escolar, que guiará a implementação de programas multissetoriais em escolas e comunidades. O documento apresenta cinco objetivos estratégicos, incluindo a promoção da sustentabilidade no programa de alimentação escolar para avançar no desenvolvimento local e inclusivo.

O documento da estratégia foi elaborado por uma equipe multissetorial que incluiu o Centro de Excelência contra a Fome, que é fruto de uma parceria entre o governo brasileiro e o Programa Mundial de Alimentos (PMA).

O apoio técnico do Centro de Excelência ao Quênia começou em 2016, quando uma delegação governamental realizou uma visita de estudo ao Brasil para trocar conhecimentos sobre abordagens de nutrição e alimentação escolar.

O evento de lançamento fez parte de um seminário de dois dias com a participação de autoridades do setor educacional e membros dos ministérios de Educação, Agricultura e Saúde. O primeiro dia do evento foi dedicado a uma conferência sobre alimentação escolar, uma oportunidade para os atores do setor refletirem sobre os programas e fazerem recomendações. O segundo dia foi usado para apresentar e lançar a estratégia oficialmente.

“A iniciativa representa um marco importante, impulsionando uma série de benefícios da alimentação escolar, não apenas para as crianças, mas também para seus lares e comunidades”, disse a ministra da Educação do Quênia, Amina Mohamed. Ela também enfatizou a abordagem multissetorial da iniciativa. “A estratégia é um documento abrangente, contendo não apenas metas e objetivos, mas também definindo papéis e responsabilidades para diferentes atores dos setores envolvidos”.

O ministro da Agricultura, Moanji Kiujuri, reiterou o apoio de seu ministério à alimentação escolar e enfatizou a importância de fortalecer agricultores familiares para garantir a segurança alimentar e nutricional.

Daniel Balaban, diretor do Centro de Excelência, disse que gostaria de “convidar as autoridades presentes para fortalecer sua defesa pela decisão de reconhecer a alimentação escolar como um veículo de desenvolvimento social para se tornar uma realidade para estudantes em todos os países africanos”.

Ele também comprometeu o Centro de Excelência a continuar fornecendo apoio técnico aos países. “Sempre que houver um país pedindo apoio para alimentação escolar, estaremos lá. Essa é nossa missão”.

Representantes do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) e outros parceiros de desenvolvimento também participaram do evento, assim como Annalisa Conte, diretora do escritório do PMA no Quênia.

A estratégia

A estratégia de nutrição e alimentação escolar (2017-2022) fornece diretrizes para o desenho e implementação de programas de alimentação escolar e nutrição no Quênia. É baseado no compromisso do governo do país de garantir que as crianças estejam bem nutridas, saudáveis e capazes de aprender e desenvolver seu completo potencial.

O governo do país disse estar comprometido para fortalecer o programa de alimentação escolar e nutrição e coordenar esforços similares para garantir que todas as crianças em escolas pré-primárias e primárias recebam ao menos uma refeição nutritiva por dia escolar. O plano enfatiza também a necessidade de os governos locais e nacional coordenarem de perto suas iniciativas de alimentação escolar.

Os cinco objetivos estratégicos são:

1. Aumentar a conscientização e a ingestão de alimentos adequados, disponíveis localmente e nutritivos pelas crianças da escola e por suas comunidades;
2. Melhorar índices de matrícula, participação, retenção, conclusão e aprendizagem de crianças em idade escolar com equidade;
3. Promover o desenvolvimento local e inclusivo;
4. Desenvolver e implementar um programa nacional de nutrição e alimentação escolar sustentável;
5. Promover parcerias e coordenação multissetorial para apoio complementar e implementação efetiva do programa de alimentação escolar e nutrição.

O programa de alimentação escolar do Quênia foi iniciado pelo governo do país e pelo Programa Mundial de Alimentos (PMA) em 1980, em resposta a uma grave seca no ano anterior. Começando com 240 mil estudantes em áreas áridas e semi-áridas, o programa teve como objetivo incentivar os pais a matricularem e manterem seus filhos na escola, e teve como alvo crianças de escolas pré-primárias e primárias. Tanto o PMA como o Ministério da Educação do país estão atualmente apoiando mais de 1,5 milhão de crianças com merenda escolar.

Crianças aguardam a refeição em uma escola em Bandarero, no norte do Quênia. Foto: OCHA/Daniel Pfister

Fonte: ONU Brasil



Ver todas as notícias